Mouse Trail Script

terça-feira, março 01, 2005

And the Oscar Goes To......HELL!

Eu achava que os Oscars eram ontem...mas afinal o que deu foi um programa esquisitíssimo apresentado por uma pessoa que eu não sei quem é, e que deve ser prai 10 anos mais novo do que eu...foi um ensaio acho eu, porque andavam uns no palco e outros na plateia e coisas a cair do tecto, e a Beyoncé?! estava lá residente a cantar todas as musicas nomeadas, tirando uma em que cantou o actor, repito actor Antonio Banderas?! , e o Puffdaddy a apresentar coisas tipo MTV...acho que vou então esperar pela cerimónia verdadeira, onde os diários de Che Guevara são nomeados e ganham! e onde cada vez que ganha um "AfricanAmerican" não é preciso fazer um discurso racista e político durante uma hora a chorar!
Não sei o que é que se passou, mas ao fim de 20 anos de fidelidade e noitadas, para ver o que seria uma grande noite, dei por mim a ler "O segundo Sexo" durante a cerimónia, acho que está tudo dito...
que fiasco!

4 Comments:

Blogger G! said...

Diria mais: Oscar....wild. Foi uma verdadeira selvajaria foi o que foi. Não há respeito por candidatos "menores" tipo documentários e os prémios são atribuídos no corredor, os menos "menores" vão todos juntos ao palco e ficam com ar de estúpidos a aplaudir os vencedores em frente a milhões de pessoas. Qualquer dia entregam os prémios para melhores efeitos sonoros na casa de banho do auditório."E o Oscar vai para...pluff...". E que rebaldaria foi aquela no backstage que só caíam coisas? Para o ano é o 50Cent a apresentar, a Queen Latifa a cantar tudo e mais alguma coisa, o Dr.Dre a entregar prémios e o Vanilla Ice a....não espera esse é branco. A bom entendedor...

3:48 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

N vi a cerimonia. Aprecio mais as minhas horas de sono k uma entrega sobre filmes que n seja da industria XXX. Isso sim, era cá uma rebaldaria, mas no bom sentido.
Na América, o pais dos contrastes e onde os extremos se tocam, o politicamente correcto e o higiénofascismo estão tão em voga que atingem o mais alto patamar do ridiculo. Um actor n é só bem actor, é um bom actor afro-americano, latino-americano, acefalo-americano and so on.
O Rock apresentou aquilo pq foi convidado, mas por ser o mais indicado ou para agradar ao "povo", para verem que todos tem os mesmo direitos, desde k isso n implique fumar um cigarro em publico. Se for coca, ainda vá...
Estou à espera que os proximos oscares ainda dêem um premio carreira ao Sigfrid e Roy pelo tempo de casal juntos e contribuição para o elevar da comunidade gay.

1:50 da tarde  
Blogger Giso said...

Pois e' caros amigos, devo dizer que gostei bastante dos oscares deste ano. Especialmente por foi a primeira vez que os vi a horas decentes. :-) E claro, pq o Clint limpou a casa. O homem e' como o vinho, quanto mais velho melhor. Tudo o resto sao balelas.

5:39 da manhã  
Blogger G! said...

Giso, não concordo nada! Num momento aguardado por toda a indústria cinematográfica para celebrar a sua arte, pretende a Academia poupar tempo, naquilo que se revelou ser um ganho de 10mn - 15mn. Ridículo. A atribuição do prémio, o caminhar pelo meio do público, a chegada ao palco e a celebração perante milhões de espectadores, mas acima de tudo pelos seus pares, é um dos momentos mais aguardados por todos. O que é que o tipo dos documentários tem de menos que um actor (seja ele afro-latino-acefalo-americano)? Nada. Mais: se calhar trabalhou o dobro, o triplo do que este, merecendo ainda mais a celebração. Ridículo. No entanto concordo que ver os Oscares a horas decentes deve ser magnífico. Espero que estejam todos bem. Bjs.

4:36 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home