Mouse Trail Script

sábado, janeiro 28, 2006

I ´ll See You Around

Foi bom enquanto durou, mas por agora este blog fica em Standby na blogosfera.
Vou me mudar para outro lado onde só alguns poderão ter acesso a certos pensamentos, aos quais aqui, infelizmente não posso dar vida.
Aqueles que se identifiquem e estejam iteressados em conhecer o novo espaço, mailem-me para catarinacm@yahoo.com, os que ficam por aqui...it was nice to meet you.

domingo, janeiro 22, 2006

Once & Again

segunda-feira, janeiro 16, 2006

Back to The Future

Ningúem sabe o que realmente quer da vida, pelo menos eu não.
Mas afinal parece não sou a única a buscar algumas respostas vá se lá saber onde.
Se calhar chega-se a um ponto onde se sabe o que não se quer, agora o que se quer é substancialmente mais difícil de definir e enventualmente de encarar frontalmente.
Anda-se de um lado para o outro a tentar passar o tempo com coisas que nem sequer interessam ou nos dão grande prazer mas que preenchem o vazio das horas estupidas que o Homem fez questão de inventar.
Claro que a porcaria do inverno acentua esta interiorização toda e quando chegam os primeiros dias de calor tudo é mais leve e as meditações transcendentais esvanecem.
Esta vidinha de galinha e de hibernação dá cabo da cabeça a qualquer um, mas a verdade é que é melhor não contar com grandes revelações vindas do céu, porque á partida não me parece que vão aparecer.
Mais vale ir aproveitando o que há de bom agora e deixar o futuro ser decidido como sempre foi, no futuro.
Só há um pequeno senão, o futuro é agora.

sábado, janeiro 14, 2006

One More Night

quarta-feira, janeiro 11, 2006

The Perfect Dream

Estava eu mais uma vez em amena converseta com a minha grande amiga (in) Sónia, a falar sobre impulsividade, quando me ocorreu que houve uma transformação na minha personalidade.
Sempre achei que ser impulsiva e espontânea era a mais verdadeira e correcta atitude e me levaria a encontrar exactamente aquilo que sempre quis, mesmo que esse percurso me desse algumas dores de cabeça e até algumas lágrimas amargas.
De facto havia algo dentro de mim que acreditava que os meus instintos estavam certos e que se esse era caminho que o meu coração indicava, então deveria segui-lo impiedosamente.
Nunca liguei muito a conselhos alheios, pois sempre achei serem o reflexo das frustrações e desejos de quem os dá e portanto, muitas vezes, fruto de alguma confusão mental. Aliás, quando penso em conselhos que já me deram e o que teria acontecido se os tivesse seguido, até fico com arrepios na espinha só de pensar como estaria a minha vida hoje em dia!
Mas houve algo que mudou, não sei bem quando, mas mudou.
Já não me vejo a correr atrás de uma fantasia à espera de encontrar aquilo que foi criado por mim e só existe na minha cabeça.
Não estou com isto a dizer que me tornei uma descrente de mim própria, porque acho que o âmago de uma pessoa não muda, mas vai sendo desfeito pouco a pouco, como um castelo de areia a levar com ondas do mar.
Os sonhos ídilicos e perfeitos só se tornam mesmo realidade quando estamos a dormir e não passam mesmo disso, de sonhos.

sábado, janeiro 07, 2006

SupperNight

quinta-feira, janeiro 05, 2006

Insania

Se há coisa de que eu sempre me pude gabar, foi de dormir que nem uma santa.
Pois, mas infelizmente, e como diz a minha mãezinha, a vida dá muitas voltas, só que escusava era de ser numa das coisas que eu mais aprecio, que é o acto de dormir muito e bem, com muitos sonhos á mistura.
A verdade é que já tinha tido algumas noites mal passadas na minha vida, sempre por estar doente ou eventualmente um bocadinho alcoolizada, mas nunca tinha sido apanhada por esse malefício terrível chamado insónia.
Ora bem, a insónia até começa por ser engraçada pois chega devagar e mansinha e eu até pensei, que giro, vou ver um bocado de televisao e tal.
Só que quando dei por mim estava num estado lastimável, semi acordada, semi a dormir, já tinha tentado ler, visto dois filmes a preto e branco de 1927, uma hora de televendas, os MTV movie awards de 2003 e o mais inacreditável de sempre, uma meia hora de RTP memória.
De facto só conseguia pensar no "Fight Club" e de como ter insónias é absolutamente enlouquecedor, sobretudo porque nos dá tempo para pensar em merdas que já nem sabia que existiam no meu cérebro desde 1985.
Posto isto, e com uma directa em cima, arrastei-me no dia seguinte a uma loja de productos naturais e comprei tudo o que havia de mais forte para dormir: Sleep Well, Strong Night, Calm Life, etc... Trouxe tudo, e na noite a seguir enfrasquei-me em pílulas como há muito não fazia.
Resultado?Outra noite em branco OMO, e esta ainda foi pior, pois consegui adormecer com os drunfs, mas acordei ás 4 da matina e não houve volta a dar.
Confesso que quase chorei de raiva quando vi o dia nascer aliado à RTP memória, e decidi então tomar medidas radicais.
Só há uma soluçaõ para combater o inimigo...cansá-lo de morte!
Foi o que fiz, nesse dia ao fim da tarde fui correr, correr e correr e acelerei até não poder mais.
Tiro e queda, cheguei á cama e .......... zzzzzzzzzzzzzzzz.
There is always a solution, always.

terça-feira, janeiro 03, 2006

Congrats Nuno!

sábado, dezembro 31, 2005

Another Year Bites the Dust

Aqui estou preparada para escrever o post da praxe sobre o ano de 2005 e seu breve e bonito resumo, de como foi um ano excelente e que desejo paz no mundo e que os meus leitores sejam muito felizes e o raio que o parta de sentimentos e desejos tantas vezes infundados, vãos e pouco sentidos que se lançam para o ar nesta altura, apenas para reduzir o oxigénio mundial.
Posto isto, vou ser realista.
Foi apenas mais um, como outro qualquer, como um mês qualquer, como um dia qualquer ou apenas um segundo.
O tempo não tem a minima importancia se não tivermos a noção dele a passar na ampulheta que é a nossa vida, com areia a cair, a contar os segundos que nos restam, sejam estes muitos ou poucos.
Como tal, apenas posso dizer que foi um ano repleto do que existe no nosso universo de dias, alguns agitados e cheios de trabalho stressante, outros emocionais e com alguma telenovela mexicana, outros em que dormi até à uma da tarde e passei o resto do dia na cama a comer chocolate e a ver junk tv sem pensar em nada, outros em que passei o dia na praia a dar mergulhos refrescantes a apanhar sol e a pensar em ir comer ameijoas ao bar, outros em que fiz tanta coisa e o tempo passou a correr, outros em que não fiz nada e o tempo parecia não andar...Dias que já passaram e que não voltam mais.
Acho que consegui aproveitar o que veio de melhor e sobretudo evoluir e aprender com tanta coisa que aconteceu e mesmo que não tenha essa noção imediata, estou sempre a mudar e a crescer interiormente, embora mais lentamente do que devia.
Seja como for, estou pronta para o ano que se aproxima, e que venha cheio de acontecimentos extraordinários, sejam eles bons ou maus, porque não há nada pior do que ter uma vida chata e desinteressante, e mesmo que assim seja, ao menos que não pareça.
Pelo menos, sei que enquanto estiver rodeada de família e amigos, tudo será no mínimo, fantabulástico!

quinta-feira, dezembro 29, 2005

Dancing Queen

terça-feira, dezembro 27, 2005

Keep On Coming Baby

15.000 chineses já visitaram este blog!
Claro que provávelmente 10.000 desses chineses sou eu.
De qualquer maneira já é alguma coisa, tendo em conta que isto tudo começou por causa de uma história estúpida e sem interesse nenhum (pelo menos para mim), mas que me fez ter vontade de vir para aqui mandar umas bujardas de vez em quando e dizer mal de quase tudo em geral, porque de facto há pouca coisa de jeito neste planeta e eu gosto de ter essa noção bem presente no meu cérebro, coisa que o blog me ajuda a lembrar quando sai para o teclado o que me vai na mente.
A verdade é que ter um blog tem o seu quê de graça, embora já tenham havido algumas reclamações à conta desta merdalhoca, e bom ou mau, sempre deu para conhecer algumas pessoas muito interessantes, outras nem por isso, e também se vai aprendendo alguma coisa e descarregando algumas energias supérfluas que nem com jogging desaparecem.
Vou continuar a tentar escrever uns posts com algum interesse, melhores do que este de certeza, por isso apareçam porque são sempre bem vindos, mesmo que sejam loucos de Sta.Maria da Feira.

segunda-feira, dezembro 26, 2005

Cat & Alex in London

quarta-feira, dezembro 21, 2005

Real Christmas

Esta altura do ano é uma grande farsa.
Acho que afinal ninguém percebeu ainda, que a ideia, não é andar feita idiota como eu tenho andado, por imposição da sociedade, a correr de um lado para o outro à procura do presente ideal para este e aquele.
Não é que eu não goste de dar e receber presentes, porque gosto, mas tem muito mais significado quando é algo espontâneo ou romantico, do que este frenesim comercial que só beneficia uns tantos monopólios.
Ando a ler um livro muito interessante que aconselho vivamente a comprarem ou ofereçerem,"Ser Feliz", do filósofo Alemão, Frank Arjava Peter, que é um homem genial, pela maneira tão simples e eficaz com que vê a vida, e pelos sábios conselhos que dá para que nos avaliemos interiormente, coisa que falta a muita gente que aí anda só a fazer merda atrás de merda, sem pensar em nada nem ninguém.
Há um capítulo no livro em que nos pede para fazermos uma lista das coisas que nos fazem felizes, e de facto se há coisa de que gosto mesmo é de dar e ter feed back, suponho que muita gente seja assim e não saiba porque nunca tentou.
Como tal, proponho que começem agora, agora já, e não agora amanhã ou depois, e ofereçam um verdadeiro presente de natal que faça alguma diferença mesmo.
Eu fiz e senti-me óptima!
Em primeiro, fiz-me sócia da "Animal", uma assoçiaçao sem fins lucrativos que tenta mudar a triste situação em que se encontram milhares de animais neste país.
Basta irem a www.animal.org.pt para verem algumas das coisas inacreditáveis que se passam e realizarem que eles são dos únicos que têm a coragem de agir contra as bestas que aí andam.
Por uns miseros 25€ anuais fiz-me sócia, o que lhes faz a maior das diferenças, por isso vão ao site e saibam que estão a fazer alguma coisa de jeito.
Depois, fui a www.children.org e adoptei uma menina linda de 5 anos da Zambia, chamada Juliet.
Por €20 por mês vou lhe pagar alimentação, medicamentos e estudos.
Acho que não há melhor do que isto!
Ainda estou à espera que me mandem a foto dela para pôr no blog.
Estes sim são presentes de natal, o resto é tudo uma grande treta que não interessa nem ao menino Jesus!

terça-feira, dezembro 20, 2005

Cat By Night

sábado, dezembro 17, 2005

Castro Verde Klan

Mais uma vez rumo à Sierra Nevada, (ver post "Cold Mountain", Abril 2005), preparei-me para a viagem com a antevisao e organizaçao que me caracterizam.
Como tal, tive a "brilhante" ideia de procurar no dia anterior na net, um restaurante típico em Castro Verde, terra que nao me diz nada, mas que achei, seria digna de um belo jantar para fazer uma pausa na viagem, num clima rústico e agradável.
Encontrei um tal "Lareira" que me pareceu optimo, só que quando chegámos a esta terreola tive uma daquelas ideias femininas, que foi, perguntar a um conterrâneo qual seria o melhor sítio para jantar,ao que ele prontamente respondeu:
- eh gost muite do Moinho.
Pronto, Moinho será!E foi.
Nao me considero uma pessoa medrosa, nem que se intimide facilmente com ambientes manhosos, mas confesso que nao estava preparada para rever Live o filme "Os Acusados" , assim á porta de Lisboa.
Ora o Moinho talvez seja o sitio mais horripilante onde ja pus os pés.
Nao só pelo facto de não ser moinho nenhum, não ter moinho nenhum, nem uma porcaria de bibelot em forma de moinho em cima do balcão, por ser muito feio e frequentado por sessenta Orcs indescritíveis, que me olharam com um ar de -fêmea acabou de entrar, Uga Uga!!-, mas também, por nao haver uma única mulher ou criança nesta espelunca alucinante.
Claro que disfarçei e pedimos o jantar às duas empregadas (uma delas brasileira claro, igual ao Zé Castelo Branco) que trabalhavam alegremente no meio daquela seita maldita como se nada fosse.
Como a brazuca disse que as doses eram grandes vieram 2 pratos para três, e claro que a comida nao chegou.
Quando chamei a criatura portuguesa, que nao se envergonhava de deambular e conversar alegremente com os sessenta Orcs, e lhe perguntei quanto tempo é que demorariam a vir mais umas costeletas de porco manhosas, ela ficou roxa e respondeu-me meia a rir, meia a chorar:
- Na sê....na sê...
Need I say more?!
Ela atrapalhou-se com tal pergunta absurda e desatou a fugir desta gente bizarra que nós eramos.
De facto estávamos ali a mais, O Ku Klux Klan aceitou-nos durante uma horita, porque quase nao abrimos a boca (nem para comer!) e nos mantivemos cabisbaixos, pagámos e fugimos, senao tenho a certeza que teriamos sido alvo de inúmeras torturas medievais ou até canibalismo.
Portanto, quando sentirem que a vossa vida está morna e que já nao há emoção, nao façam queda livre nem mergulho no meio de tubarões...basta irem ao Moinho em Castro Verde.



quarta-feira, dezembro 14, 2005

Catwoman in Amsterdam

terça-feira, dezembro 13, 2005

The Constant Gardner

Há coisas que não se explicam.São assim.
Não vale a pena dissecar á procura de razões e fundamentos para aquilo que não pode ser posto em palavras.
É a nossa essência, aquilo que somos, o ADN, o que nos distingue dos outros, o que nos torna interessantes ou idiotas, gostarmos de umas coisas e não sabermos exactamente explicar porquê.
Pura e simplesmente não se explicam.Gosta-se e pronto.
Gostar de cheirar o ar depois de chover, gostar de ver os filmes do Woody Allen vezes e vezes sem conta, gostar das piadas do Seinfeld, gostar de usar dois pares de meias para ter os pés bem quentes, gostar de pensar na vida antes de dormir, gostar de ir às compras sozinha, gostar de escolher cada peça de fruta, gostar de arte abstracta, gostar de separar a comida no prato, gostar de usar luvas, gostar de nadar debaixo de água, gostar de esquiar, gostar de dar passeios agarrada a quem gosto, gostar de dormir agarrada a quem gosto, gostar de sentir o sol na cara, gostar de dormir na praia, gostar de ouvir uma musica no carro que me faça lembrar certos momentos, gostar de olhar nos olhos e saber.

segunda-feira, dezembro 12, 2005

Summer Weddings

quarta-feira, dezembro 07, 2005

We Are the Perfume of Corridors

Em Londres, fui á Modern Tate (que adorei!) e vi lá um mini filme maluco dum austríaco, gênero David Lynch, em que se viam bocados de vidas de pessoas esquisitissimas, com bossas em movimento e ferros presos ao corpo, num cenário de hotel retro abandonado e com várias vozes a repetirem um texto que me marcou bastante por ser algo parecido com muita coisa que penso em relação á mentalidade humana:
"We live with the sensation of beeing everything and the certitude of beeing nothing".
Ele tem razão, pensamos que existimos com algum significado numa vida imortal e grandiosa em que sentimos tudo e afinal não passamos de meros grãos de areia num universo que nos transpõe e nos remete ao rídiculo que somos.
Por mais que procuremos ávidos, estamos sozinhos, por mais que nos estejamos sempre a rodear de pessoas, estamos sozinhos, e só podemos contar conosco para resolver todo o caos interno que nos assombra.
A companhia dos outros é um mero fantasma que nos acompanha numa passagem efémera, mas que nunca fica realmente.
Temos que aprender a viver sozinhos, porque estamos presos num cérebro e num corpo condenado a sentença de prisão perpétua e não há fuga ou perdão possível e nem sequer liberdade condicional.

Alone in The Croud

sábado, dezembro 03, 2005

Just Leaving

Não há nada melhor do que poder apanhar um avião e largar esta merda toda para trás, ainda por cima para ver um concerto em que ando a pensar há mais de um ano.
Nem me apetece dizer aqui o nome porque ja sei que vai começar toda a gente a dizer que os gajos morreram há mais de dez anos e a falarem do que não sabem, portanto não vou dizer que vou ver "Marillion" e que quem queira saber o que é boa musica, compre o "Marbles" e ouça o lindo "Angelina", "You´re Gone" ou o romantico "Fantastic Place".
Também não vou dizer que adoro completamente este grupo e que por eles vou de propósito a Londres, onde poderei levar com uma bomba em cima, coisa que não está nos meus planos, mas que se acontecer também paciência...
Claro que não vou dizer também que algumas comprinhas, algumas galerias e jantares e cházinhos não estão nos meus planos.
So long old chap.

Me & Me


terça-feira, novembro 29, 2005

The Truth of Lies

Afinal o que é a verdade?Não é senão um conjunto de factores criados pelo "eu"-qual deles?- que podem corresponder ou não à realidade apenas momentânea da correspondencia dos nossos desejos.Assim desejamos o desejo e não o ser desejado?A verdade pode ser a maior das mentiras, e a mentira a maior das verdades, é apenas uma questão de tempo mental, pode ser uma hora, uma semana ou uma vida.A questão é:queremos mesmo saber a verdade, ir ao âmago da questão, enfrentar a nossa essência e sofrer as consequências de saber que sou "eu".
E esse eu tem coragem de dizer a verdade ou é preciso mais coragem ainda para mentir- a mim- para enganar o próprio cérebro e levá-lo a obedecer ao seu ditador que é também o seu escravo,que vive na gaiola gigante sem poder fugir, eternamente ligado ao pensamento enlouqueçedor que só descansa nos sonhos e mesmo assim insiste em atormentar a fuga impossível.

Paradise

quinta-feira, novembro 24, 2005

The Real World

Para mim só há dois tipos de pessoas, as que estao vivas e as que estao mortas.
Infelizmente, muitas das que tem a sorte de respirar não vivem realmente, estão apenas vivas por fora, pois embora pairem neste planeta com o coração a bater sabe-se lá como, fazem-no sem sentir essa máxima que rege paranoicamente a minha vida, que é
"só se vive uma vez", e este momento pode ser o último em que se possam deslumbrar e aproveitar com toda a força antes que fuja e nao volte mais.
De vez em quando fecho os olhos e imagino o fim, o último suspiro que darei, e esse fragmento mental faz-me voltar á realidade com a noção de que tudo é relativo e com vontade de ser aquilo que sempre fui e que foi pouco a pouco desvanecendo com o tempo.
Quem sabe poderá voltar.
Mas todas estas palavras escritas são algo que me incomoda, que é, não saber dizer as coisas cara a cara e ter que escrever para exorcisar demónios.
As palavras foram feitas para ser ditas, para serem ouvidas e usadas até à exaustão em todos os momentos, sobretudo aqueles em pode fazer toda a diferença.
Para mim escrever é apenas um passatempo, para outros é a unica maneira de serem pessoas com alguma frontalidade e coragem num mundo de sonhos e fantasias.
Eu gosto do mundo real que tanta dor de cabeça já me deu, mas vou levar duas aspirinas e vou para lá agora.

So True

segunda-feira, novembro 21, 2005

The Knights of The Apocalipse

Tento interiorizar que gostos musicais não se discutem e respeitar o que cada um ouve mas há coisas que não dá mesmo!
Com tanta musica boa e criativa que há por ai para se ouvir, qual não foi o meu espanto, quando vi num programa qualquer que os "IL Divo" estão a lançar o seu segundo, repito segundo album ,não de originais claro, e que se encontra em primeiro lugar em 13 paises.
Este grupo de ex manequins-pseudo tenores a cantarem "All by myself" ou "Unbreak My Heart" os quatro ou lá quantos são em sintonia horripilante é tao mau e tao foleiro que só faltava estarem de smoking...e estão!
E ainda por cima alteram o ritmo das musicas, que já não eram grande espiga, mas ao menos não parecia que tinham alterardo as rotações do vinil como eu fazia para me rir em pequena.
Um grupo destes, formado à base de good looks-good hair em vez de criatividade artística genuína só mesmo em 13 países à beira da loucura artística, poderiam tornar-se número um.
O problema é que estes últimos são países europeus de onde surgiram alguns dos melhores artistas internacionais, por isso o mistério adensa-se.
Tenho no entanto a certeza que deve ser o conjunto favorito de um grande amigo que tenho em Santa Maria da Feira, que também deve adorar essa coisa estranha, inaudível e creepy chamada "Os Humanos".
Quem não gostar mesmo de mim já tem presente para me dar no natal.

quinta-feira, novembro 17, 2005

SexyBeast

terça-feira, novembro 15, 2005

Total BullShit

Se há coisa que me deixa mesmo fodida, e não peço descupla pela linguagem, é que me tomem como garantida.Ninguém me deve nada e não devo nada a ninguém mas não me façam de parva porque é coisa que não sou.
A minha mãe costuma dizer que sou demasiado exigente com os outros e que quem é assim acaba sem amigos, pois que então seja, porque amizades em ruas de sentido único não quero.
Gosto de saber o que se passa na vida dos meus amigos, gosto de telefonar de vez em quando só para saber se está tudo bem e gosto de combinar programas e saídas mesmo com alguns casais que já há muito morreram para a sociedade.
Para mim isto é o natural e normal, agora se me dizem que não tiveram tempo e tal e coiso e toca o violino, eu fico de facto surpreendida por ver que ao fim de tanto tempo, há pessoas que não me conhecem, porque se me conhecessem saberiam que odeio desculpas esfarrapadas e sei muito bem que há sempre tempo para estarmos com alguém com quem nos apetece estar e o resto é BS!

Sleeping in Sierra Nevada

segunda-feira, novembro 14, 2005

Catwo Man

As mulheres a dizerem mal dos homens e os homens a dizerem mal da mulheres, é o pão nosso de cada dia.
Eu própria ando a ter uns ataques de nervos quando vejo atitudes tipicamente masculinas irritantissimas tais como parar no transito para ver acidentes...
Enfim, very tipical, a questão é,
E se eu fosse homem?
Tenho andado a pensar nisto ultimamente por ter muitos amigos homens com quem costumo estar bastante e pelo facto de ver que quando saio só com homens divirto-me mais, não por serem mais divertidos do que as mulheres, mas pelo facto de serem mais descontraídos e espontâneos e de sairem mesmo para se divertirem e não para terem conversinhas e lamentações chatas sobre as desgraças amorosas das suas vidas e outros problemas desse tipo que ás vezes confesso que não tenho saco para aturar ás duas da manhã, até quando partem de mim.
Claro que eu não quero ser homem, mas gostava de tentar conseguir perceber se de facto seria um grande pig para as mulheres ou se seria um romantico e teria pachorra para as aturar.
Sinceramente é difícil tentar perceber como é estar na pele de um homem.
Ainda bem.(?)

quinta-feira, novembro 10, 2005

Catwoman & Mr.Big

segunda-feira, novembro 07, 2005

Just do It

"A Grandeza de uma sociedade mede-se pela maneira como trata os seus animais"
Mahatma Ghandi
Considero-me uma pessoa razoável e nada fanática , aliás não gosto de fanatismos, mas o amor que tenho pelos animais é de facto muito grande e tem vindo a aumentar à medida que convivo com eles e vejo a sua amizade, pureza, inocência, fidelidade e adoração inexplicável e nada merecida pelos seres humanos.
Para mim, um mundo sem animais seria um mundo onde não queria viver nem dois segundos e sem qualquer tipo de lamechiches é o que está prestes a acontecer.
Infelizmente em Portugal a situação é problemática devido á falta de respeito que os tugas têm pelos animais e nem sequer vou dar exemplos porque este blog não é para isso.
A questão é que raramente alguém faz algo e estão-se nas tintas sentados no seu sofá a coçar a barriga, mas desta vez a Pedigree Pal editou um livro e juntou à Visão desta semana e as suas vendas revertirão para alimentar os milhares de cães abandonados deste país.
Como tal, peço a todos que comprem uma ou mais revistas com o livro (+€2,50) e que não deixem passar esta oportunidade de ajudar quem realmente merece e precisa.
E já agora, se quiserem um cão, primeiro pensem muito bem, pois os animais não são brinquedos descartáveis que podemos usar e deitar fora seja porque razão for.
Se de facto tomarem a decisão de adoptar um, vão ao canil de S.Pedro de Sintra ou á União Zoófila buscar um dos cães lindos e espertíssimos que lá estão como a minha querida Lua que aparece na foto abaixo e que infelizmente era abandonada.
Agora é a cadela mais mimada do mundo e eu adoro-a!


The Most Beautifull Moon

sexta-feira, novembro 04, 2005

One Two Freddie´s coming to You

Já se sabe que gostos nao se discutem e cada um pode vestir o que lhe apetece e blá blá blá, mas há limites.
Certas lojas de roupa, tais como a Quebramar seriam lojas que, para mim, iriam á falência em 2 semanas, no entanto, é vê-las abrir megastores em todo o lado.
Como é que é possível?
Quem é que compra roupa na Quebramar?
Provávelmente todos os portugueses que velejam incessantemente às 2as, 4as, e 6s (0,1 da população portuguesa), compram polos encarnados ou amarelos com a bandeirinha bordada ao peito, calça beige com pinças e a piece de resistence, os sapatos de vela, essa bela moda que mais parece o que foi o comunismo na União Soviética.
Mas ainda me ocorre pior.
O verdadeiro pesadelo, o Freddie Kruger da moda nacional, esse acessório que muitos nao dispensam,
O pijama com bonecos.
Aqui estamos perante uma calamidade, uma afronta ao sex appeal masculino,e sem dúvida, a pergunta que se põe é:
Quem é que são estas mulheres que deixam os namorados ou maridos usarem pijama?!
Um homem sexy dorme nu ou de T Shirt ou Sweat Shirt e boxers justinhas e pretas ou cinzentas, não dorme de pijama! muito menos com bonecos horrorosos tipo porcos voadores ou almofadinhas sorridentes, simbolos do fim anunciado dos sexo em qualquer relação.
Portanto, mulheres portuguesas que andem a ter problemas na relação, antes de telefonarem feitas idiotas para a psicóloga maluca da TVI, queimem os pijamas dos vossos namorados ASAP!

quarta-feira, novembro 02, 2005

Congratulations Xuxu

terça-feira, novembro 01, 2005

Hallo In

Afinal Portugal é um país evoluido, é um país que recebe com agrado a globalização, só que evidentemente, não num assunto sério, mas sim nesta nova moda chamada "Halloween".
Confesso que durante anos o Halloween nada mais era para mim do que o ET vestido de fantasminha e o filme do Carpenter, mas obviamente tudo mudou.
Quando recebi um convite para uma festa Halloweenesca achei que seria algo prometedor mas reduzido a quatro paredes.Enganei-me redondamente.
A festa foi óptima, recheada de máscaras dignas de muitas gargalhadas que chegaram a lágrimas e ao fim de algumas horas indoors achámos por bem dar um salto a um bar.
Então não é que Lisboa estava cheia de gente mascarada?
Até o bar (Roskoff) onde costumo ir beber o meu shotzito de vodka melão estava com uma passadeira vermelha á porta e todos os barmans trajados a rigor para nao falar na incandescente decoração, no buffet (aí sim manhosi) e nos habituais bêbados lá do sítio com fatos xpto, muito mais giros do que o meu que era apenas uma peruca que nem saiu da festa.
Enfim, uma noite de descoberta em que os costumes dos portugueses continuam a surpreender, desta vez pela positiva.

domingo, outubro 30, 2005

Miss U So

quarta-feira, outubro 26, 2005

Netsex

Vamos lá saber afinal o que se passa realmente nesta treta de terra.
Após ter recebido um mail que me informou da recente descoberta nos states da importancia dos blogs e da sua eventual influencia nos leitores, senti-me na obrigação de tornar este blog mais útil no sentido de arrancar informações até hoje ocultadas pela estirpe masculina.
O tema de hoje é simples e peço aos meus leitores "machos" que respondam de uma forma clara e sincera, coisa que raramente conseguem fazer:
Quem é que paga para ver pornografia na net?
Que tipo de homem é este?
Será o bancário frustrado?o contabilista á beira do suicídio?o playboy tarado?
o marido que não tem sexo há 2 anos?o teenager curioso?o nerd solitário?
Se calhar são todos!
É que é muito simples, mulheres não são! (pelo menos em geral).
Como tal, os 4567.854.146.53 biliões de sites porno a pagantes, têm de receber de algum lado e parece-me que facturam balúrdios.
Isto leva-me a concluir que os homens portugueses andam a gastar o budget escasso da média nacional para ver umas Wendys, Sandys ou outras coisas que nem quero saber e pelos vistos aquilo rende.
Agora estou para ver quem é que tem coragem de assumir.

Toys R Us

domingo, outubro 23, 2005

Raging Day

São pequenas coisas, formigas que percorrem o corpo e picam, comichões terríveis que têm que ser imediatamente coçadas, aqueles dias em que pareçe que há alguém sentado numa cadeira a rir-se enquanto faz pequenos planos minuciosos contra nós, para que o que até parecia ter começado bem, acabe com um ataque de nervos frenético.
Coisas que me dão verdadeiramente cabo do sistema e que cada pessoa tem. Aqui vão alguns exemplos que me atormentam:
- Abrir caixas ou frascos (simplesmente não consigo!)
- Condutores que não arrancam logo que o verde cai (ahhhhhrg! andor!)
- Apanhar chuva no cabelo acabado de sair do cabeleireiro (irra cázar!)
- Ficar sem internet (ódio mortal contra a metedácabode tudo)
- Esquecer-me de comprar algo no supermercado ("G, vai lá sff...)
- Esquecer-me do nome de um actor (fico o dia inteiro a pensar nisso)
- Acabarem-se as minhas guloseimas preferidas ("G, vai á bomba sff...")
- Sentir-me horrorosa e encontrar alguem conhecido ("olá, então tudo bem? Posso fugir agora? ;()
- Contarem-me o fim dos filmes que ainda não vi (devia dar pena de morte)
- Anuncios idiotas com musicas ainda mais idiotas ("G, tira o som !")
- Estacionarem o carro colado ao meu e ter que entrar pelos vinte cms que me deixaram ("é desta que fico no carro á espera do condutor")

- Não encontrar alguma coisa que procuro em casa (ando horas as voltas..."G, ajuda-me...não encontro...)
- Esquecer-me de ver a minha série preferida ("FUCK!")
- Perder posts a meio...

sexta-feira, outubro 21, 2005

Cristina & Zé MIguel

quarta-feira, outubro 19, 2005

The New Village Gaia People

Por ocasião de mais um casamento, fui passar um fim de semana á Cidade Invicta, ou assim esperava , só que por motivos alheios á minha vontade, acabei por ficar num Hotel em Vila Nova de Gaia, na Av.Pricipal Mais Barulhenta nº3.
Não sendo grande conhecedora do norte, pois só lá estive poucas vezes e estava sempre um tempo muito cinzento, o que me fez achar tudo aquilo um bocado depre, posso dizer que vale a pena ir a Gaia e apreciar a íncrivel evolução arquitectónica desta cidade.
Se em lisboa é um filme do Manoel de Oliveira, cada vez que se faz uma autoestrada, em Gaia aquilo é peanuts.
Qualquer que seja o caminho que se queira tomar, tem que se apanhar uma das vinte autoestradas possíveis, e andar pelo menos 10kms sem a mínima hipótese de voltar para trás se nos enganarmos, coisa que me aconteceu umas 30 vezes:
"- Olhe sachavor!Como é que eu saio daqui?"
"- Apánha a circumbalaçongue e dá a bolta pa tráxe..."
Mas, ainda mais engraçadas, são as saídas da autoestrada, que acabam de repente, sem portagem, à porta da casa do Sr.Manel ou á porta da pastelaria Francesinha, numa chocante alteração de cenário, agora rural e aí sim, descritivo da realidade nacional.
É de facto um must esta cidade.
Quanto às pessoas de Gaia e Porto, apenas posso dizer que não sofrem da pandemia (esta bela nova palavra) da má educação e arrogancia que já infectou 50 mil lisboetas, pelo contrário, são super bem educados, simpáticos, receptivos e têm um sotaque que não deixa de ser castiço e que por mais que tente não consigo imitar condignamente carago!
(Este post é dedicado à Filipa e à nossa inesquecível e longa viagem de carro ao "Fernando do Aeroporto").

segunda-feira, outubro 17, 2005

Lisbon Yankees

sexta-feira, outubro 14, 2005

Sleeping Beauty

Se há coisa que invejo sao aquelas pessoas que acordam sem despertador às sete da matina, cheias de energia e força de viver, prontas para um novo dia com um sorriso no lábios e logo com grandes conversetas.
Porque é que eu não sou assim?!
É que pode parecer que estou a exagerar, mas quem já dormiu comigo (uma ou duas pessoas...) sabe bem que é verdade.
Para mim acordar é como nascer outra vez, não consigo ver, nao consigo andar, nao consigo falar, apenas emitir uns grunhidos enquanto cambaleio apoiada nas paredes como se tivesse bebido 6 shots de tequilla.
E o meu motor só arranca aí umas duas horas depois de acordar, antes disso nao se passa absolutamente nada no meu cérebro, a não ser uma vontade enorme de voltar para a cama.
Eu sei que dizem que dormir é um desperdício de tempo, mas eu gosto e além disso faz super bem á pele e atrasa o envelhecimento, o que é que hei de fazer?
Hoje em dia já não sou tanto assim, mas houve uma altura da minha vida em que adormecia em qualquer lado mesmo que estivesse a maior barulheira, até cheguei a dormir no Grande Prémio de fórmula1 no Estoril.
Bem... acho que vou voltar para a cama.

quinta-feira, outubro 13, 2005

Friends

quarta-feira, outubro 12, 2005

Sick Mind

Há dias mesmo estúpidos.
Há dias em que o tempo não deveria contar para o calendário da mortalidade.
Estou em casa doente, talvez pelo facto de ter nascido com uma saúde que me prega varias partidas por ano, coisa que muitos seres super saudáveis insistem em desconfiar e não compreender.
Só quem costuma estar doente é que sabe verdadeiramente o que isso é.
À partida soa bem estar em casa de cama a ver todas as merdas que dão na televisão, mas não é.
Se calhar pelo facto de não me sentir bem, estar com dores, estar a tomar 37 remédios que sabem péssimamente e me deixam ainda mais doente.
Depois, nunca fico "de cama", em vez disso ando pela casa a arrastarme seguida pela minha fiel canídea, qual dona de casa chateada.
Depois tento ver televisão.Não dá. A televisão diurna é apenas um espéctáculo deprimente da realidade nacional.
Faço alguns telefonemas, ninguém me liga nenhuma.
Passo ás arrumações, melhor ainda, a thrill!
Ainda fico mais irritada por ter passado duas horas a arrumar mil coisas e parece que está tudo na mesma.
Claro está, sigo para o computador e escrevo post idiotas.

Brasil Zen

domingo, outubro 09, 2005

The One?

Não há dúvida que somos todos diferentes e desejamos coisas diferentes e ainda bem que é assim.
Há coisa de um mês escrevi um post a dizer mal do casamento e a indagar o que leva as pessoas a casarem numa época em que os divórcios suplantam os anuncios da vodafone na televisão.
De facto continuo a achar que é uma decisão complicada que tem que ser muito bem pensada estruturada e avaliada no sentido de não acabar como mais um fiasco para as estatísticas mundiais.
Mas, a verdade é que ao fim de tres casamentos num mês, acabei por ter uma resma de esperança no futuro desta instituição obsoleta, ao ver a felicidade, pelo menos momentânea, estampada na cara dos noivos.
Se calhar o defeito é meu, e a minha busca de constantes momentos "altos" numa relação, é utópica e pouco realista, mas gostava mesmo de saber se de facto as pessoas se casam com o verdadeiro sentimento interior de que o outro é "the one" ou se sucumbem apenas a regras da sociedade, apelos do relógio biológico ou a outras idiotiçes que para aí andam a lavar cérebros a pilhas, e que no fundo é tudo uma grande farsa que se vê repetidamente ser efémera.
Seja como for, desejo que estes novos casais sejam super felizes, e se estejam a marimbar para aquilo que pessoas como eu acham ou deixam de achar.

Rita & Diogo

quarta-feira, outubro 05, 2005

Under Pressure

Se há coisa que não tolero é que me pressionem.Não há hipótese.
Considero-me uma pessoa razoável e portanto não cedo a qualquer tipo de pressão para tomar a decisão que considero ser mais acertada.
Mas o facto é que, pelos vistos, há pressões tão insuportáveis que devem acabar por funcionar, como é o caso das campanhas eleitorais "on the road".
O que é que esta malta nojenta pensa que vai conseguir a andar a apitar frenéticamente numa caravana de carros enbandeirados tipo camionista excitado com a vitória do Benfica?
Será que a ideia é ensurdecer e chatear tanto as pessoas com as porcarias dos megafones e discursos merdosos repetidos de 6 em 6 segundos ao ponto destas votarem no seu partido?!
Para mim não funciona propriamente a ideia de estar calmamente num feriado a tentar ler um livro e ouvir o meu cd novo de "Groove Armada" e ter que ouvir "Paz, pão, povo e liberdade..." 200 vezes!
É que não me dá propriamente vontade de me levantar e cantar ou juntar-me a eles, mas sim, enfiar dois balázios valentes na cabeça do condutor.

Happy Birthday Sis.

terça-feira, outubro 04, 2005

The Gathering

Esta coisa dos blogs até tem piada e tal mas sempre pensei que daqui não surtiriam grandes frutos suculentos.Pois que me enganei.
No meio de tanta parvoice e sarcasmo acaba-se por ter algumas surpresas inesperadamente boas.
Claro que sempre achei que dá para ter uma ideia da personalidade de uma pessoa através daquilo que escreve no blog, embora haja quem disfarçe muito bem.
Neste caso não me enganei e acabei, depois de muitas negoçiações sentada à mesa com um grupo muito divertido, até bem mais do que eu.
Foi uma noite engraçada onde andei mais kilómetros do que a Susana Feitor, e que acabou por ter um desfecho surrealista num lugar duvidoso com direito a fórró manhosi.
Seja como for, acho que vale a pena levar este blog adiante durante mais algum tempo.

sexta-feira, setembro 30, 2005

Half a Dozen

terça-feira, setembro 27, 2005

The Sunshine Of My LIfe

Vivo numa esfera louca cheia de terror, violência, ódio, loucura e todos os males terríveis que se possam imaginar.
Ligo a televisão e penso que não há salvação para esta raça que nunca devia ter sobrevivido aos dinossauros.
E depois olho para ela.
Tudo muda.
A minha vida é renovada e inspirada.
Quando admiro sua cara perfeita de anjo, os seus olhos de mel que revelam toda a sua bondade e derretem a alma mais gelada.
Quando observo de perto a sua dedicação inesgotável , o seu carácter forte e inabalável, raros numa pessoa tão nova.
Recebi muito mais do que alguma vez sonhei.
Obrigada meu amor.
Tatão!

sexta-feira, setembro 23, 2005

My Girls

quinta-feira, setembro 22, 2005

Blá Blá Blá

Há pessoas com quem sou capaz de passar horas ao lado e estar completamente à vontade para fazer o que me apetece, seja conversar, dançar, passear, dizer disparates, beber shots, ou não fazer absolutamente nada.
São almas que se complementam com a minha, feitas da mesma chapa, com os mesmos pensamentos loucos e dizeres absurdos mas também com momentos sérios e absortos para pensar e consumir aquilo que no fundo tem importancia.
Depois há as pessoas com quem não me apetece passar nem dois minutos. Falam muito sériamente de dinheiro, trabalho, seguros, hipotecas, doenças, desgraças alheias, tudo o que não interessa a não ser em casos específicos.
Aqui vai para essas pessoas o desejo que encontrrem almas iguais para que possam falar frenéticamente de todos esses temas interessantissimos e assim deixar o meu sistema nervoso em paz.

segunda-feira, setembro 19, 2005

Happy Birthday Big Sister

Brain Damage

Há um ponto na vida em que uma pessoa pensa "what else is there?".
Andamos aqui dia após dia a pairar de um lado para o outro, sempre cheios de pressa para ir a lado nenhum. Para quê?Será que não seria mais facil seguir aquela máxima do Carpe Diem?
À partida parece simples a ideia de aproveitar calmamente todos momentos e gozá-los como se não houvesse amanhã, até porque pode mesmo não haver amanhã, mas a verdade é que esse ideal rápidamente se dissipa na loucura estúpida do dia a dia.
E se não houvesse esse frenesim mental?
Passariamos então todo o tempo a pensar em coisas escondidas e inacessíveis, propositadamente estragadas no nosso cérebro, para não sentirmos a tempo inteiro a dor real da nossa mortalidade?

sexta-feira, setembro 16, 2005

Congratulations Pat

quarta-feira, setembro 14, 2005

Smokers Trash

Eu sei que estou a entrar na onda do Seinfeld do "Whats the deal with...", mas a a minha consternação com os costumes da nação é mais forte do que eu.
Se calhar se eu fosse de uma família Mormon andava por lá em cima de um caixote de madeira a reclamar sobre a má comida e a falta de viagens ao exterior e a perguntar porque é que tinha 3 mães e 37 irmãos, primos e tios do mesmo pai e provavelmente já teria sido queimada ou comida por eles num ritual satânico qualquer.
A questão é que não posso ficar indiferente a coisas que me perturbam tais como:
A atitude do fumador.
Não tenho nada contra quem fuma, eu propria fumo uns cigarritos quando saio á noite e detesto qualquer tipo de fanatismo, seja contra quem for, mas pergunto-me:
Quem é que deu o direito aos fumadores de atirarem a porcaria das beatas para onde lhes apetece?É que são imparáveis.
Vou dar alguns exemplos de nojeira que vi ultimamente:
- Na fila da bilheteira do cinema , 500 macacos a fumarem e tumba 500 beatas no chão.
- No teleski ,500 macacos a fumarem, 500 beatas na neve.
- Na autoestrada, atiram-nas pela janela fora e querem lá saber se 100 hectares de floresta ardem,3 bombeiros morrem e 30 pessoas ficam sem casa.
- Na praia, toca de apagar as beatas na areia, pode ser que venha algum bébé a seguir e se engasgue com elas.
- Na sanita, deitam-nas por ali abaixo sem pensar que vao direitas para o mar e demoram prai 5000 anos a dissolver-se.
E mais, apagam os cigarros em todo o lado, latas, chávenas, copos,
pele de pessoa de quem não gostam,enfim qualquer sítio serve caixote do lixo, é só atirar e pisar com o pé e o assunto fica resolvido.
Deviam inventar uns cinzeiros que se aparafusassem na pele dos fumadores, talvez assim os usassem e já agora despejassem de vez em quando.
Por mim fumem á vontade, mas poupem o nojo a quem está á volta.


sexta-feira, setembro 09, 2005

Friends & Bags

terça-feira, setembro 06, 2005

Sex Lies

Estive ontem a ver "Kinsey", um filme muito interessante sobre um cientista que investiga a sexualidade humana durante toda a sua vida.
O filme passa-se na década de 50 e, claro, durante as investigações que consistem em entrevistar o maior numero de pessoas sobre todos os pormenores a sua vida sexual para elaboração de um relatório , o Dr.Kinsey ,encontra repetidamente grandes barreiras, armadas por puritanos hipócritas, especialidade conhecida do povo americano.
Mas o que mais me assombrou, depois de ver o relato de uma investigação interessante, necessária e elucidativa, foi perceber que sexualmente falando, em Portugal, ainda estamos na década de 50.
O falso puritanismo e altivez moral imposto pela sociedade retrógada que impera nesta terra, impede as pessoas de trocarem ideias normais e abertas sobre um dos temas mais importantes para a sanidade mental e física de qualquer ser humano.
Talvez por isso haja tanta camuflagem e perversão, tanta gente frustrada, ressabiada e raivosa com ansias que se satisfariam se mantivessem uma relação saúdável e que em vez disso são "resolvidas" de maneiras tortuosas e desiquilibradas.
Será que alguém neste país tem a coragem de ser sexualmente verdadeiro?

sexta-feira, setembro 02, 2005

Catwoman in Sevilla

quinta-feira, setembro 01, 2005

Mexican Psicho

Será que sou capaz de matar alguem?
Será que há um psicopata escondido e renegado dentro de mim?
Li um artigo qualquer que dizia que cada um tem uma preferência refundida no cérebro por um tipo específico de arma que utilizaria para matar.
Eu sei qual seria o meu método infalível, e devo dizer que é sinistro.
O limiar entre a sanidade e a loucura é uma linha de nylon invisível.
Este post é a prova viva disso, claro que também já é tarde e jantei comida mexicana por isso está explicado.
De qualquer maneira em vez de estar a fazer o que devia, que era estar a dormir há duas horas, pergunto-me o que é que me levaria a transbordar essa linha.
Sei que houve momentos no transíto que já me fizeram pensar duas vezes.
Felizmente não sou americana e não tenho uma armazita no porta luvas, senão tenho a certeza que já tinha rebentado algumas cabeças, e posso dizê-lo, sem complexos que a maioria seriam mulheres.
Bem, já vi que foi a última vez que fui a um restaurante mexicano.

Can I do it?

sábado, agosto 27, 2005

Wedding Stuff Part I

Seja la porque raio for, o ser humano tem a certa altura da vida, necessidade de se casar com outra pessoa.
Esta palavra "casar" faz-me lembrar um jogo de cartas que costumava jogar com as minhas irmãs quando eramos pequenas.
Pegávamos num baralho, espalháva-mos as cartas virádas ao contrário e depois iamos fazendo pares.
Quam fizesse mais ganháva.
Só que claro ,só começei a gostar do jogo quando em vez de fazer um par, o objectivo era juntar quatro cartas iguais ou até seis.
Porque tal como na vida, as variáveis romanticas são mais que muitas e vão mudando à medida que evoluimos.Daí o compromisso vitalício do casamento nao me parecer lá muito boa ideia.
Para sempre? What?!!
Calma aí! Aguentem os cavalos porque "para sempre" não me parece coisa boa para se dizer (pelo menos sem ser as quatro da manhã e com 5 shots de tequila em cima).
Será que ninguém percebe que não é boa ideia?!
Casar é não mais do que tirar a piada toda á relação.
Ou será que nos estamos a esquecer das nossas origens predadoras?
A malta quer é conquistas, escalar montanhas, apanhar mosquitos em fuga, e não, saber o que nos reserva o futuro nos próximos 40 anos.
Era muito melhor se um gajo casasse e o padre ou aquelas pessoas horrorosas dos notários dissesem:
- Aceitas Maria Eufélia como tua esposa até 6a que vem?
Aí sim, uma pessoa pensava:
.......ora hoje é terça....
-Pronto, Sim !Aceito!

Catwoman Min and U2

quinta-feira, agosto 25, 2005

The Right Mistake

Os erros servem para aprendermos com eles ou é bom errar e bater com a cabeça nas paredes para moldar a personalidade e depois acertar.
Isto são frases que passei a minha vida a ouvir mas, infelizmente, não acredito muito nelas.
Os erros acontecem porque têm que acontecer e muitas vezes temos consciência deles e continuamos.
Porquê?
Porque está na natureza humana seguir o caminho errado e não o certo, porque os erros acabam, muitas vezes, por ser o sal da vida, porque o desafio pelo diferente é mais apelativo do que o banho maria do normal.
Já errei muito e sei que vou errar mais e nada vai mudar isso, porque no fundo a minha certitude é ser errante, e só assim sei viver.

terça-feira, agosto 23, 2005

28 Kisses

Niet Perestroika Hier Pliese, Only Vuodka

Infelizmente não há coisa boa que fique boa por muito tempo.
A publicidade chegou a este blog. Até aqui ainda seria tolerável, agora, publicidade rasca é que não!
Noivas russas?!Eu que achava que este blog era digno e respeitável, afinal aparecem-me aqui empresários mafiosos (para não lhes chamar outra coisa) a sugerirem que eu visiste o blog das noivas russas.
Mas que raio de interesse é que eu poderia ter em ver noivas russas?Já tive os meus momentos de desespero na vida como qualquer mortal, mas ainda não decidi casar com uma russa!
De qualquer maneira vou lá insultar o homem ao blog dele, não que ele se vá ralar, mas é o mínimo que posso fazer.

quinta-feira, agosto 18, 2005

Amsterdam By Night

quarta-feira, agosto 17, 2005

Pack Woman

O regresso de ferias tem muito que se lhe diga, é como um barco a motor que nao pega, pelo menos á primeira.
Cheguei há dois dias e estive a reprogramar o meu cérebro para voltar á engrenagem, mas não há maneira ainda.
Ando frenéticamente a arrumar a casa e a desfazer malas destas e de outras ferias e quanto mais arrumo mais me aparecem coisas por arrumar.
De onde é que aparece esta mierda toda?Será que poem ovos?
Foi como quando fiz as malas para ir de férias, abri o malão e enfiei lá dentro 10 pares de jeans 25 tops 6 pares de sapatos 6 túnicas 4 pullovers 40 cuecas 5 soutiens e mais 10 bikinis, para naõ falar nos 320 produtos que levei para embelezar desde a ponta da unha do dedo mindinho á ponta do cabelo que tem que ser protegido do sol.
Para quê?para nada...
Andei 10 dias quase sempre com a mesma roupa e como todos os tugas a arrastar lentamente a minha bela chanata.

New Tattoo

sexta-feira, agosto 05, 2005

South Park

Só para não ser original, vou fugir uns dias para o Sul.
Eu e mais 10 milhões de Tugas.
Todos os anos é o mesmo filme, é como ver Woody Allen outra vez no canal Hollywood, já sabemos tudo o que se vai passar, mas vamos na mesma.
A verdade é que depois não é assim tão mau e ainda posso ver fenómenos made in Portugal, como ver o Figo a tomar café no Supermercado Marrachinho. Aliás, no ano passado foi Figo e Zidane!Ao mesmo tempo...
Pena não ter tirado uma foto para por no blog.
Qualquer dia acham que sou prima do Paulo China.
Enfim, férias de carneirada, melhor do que nada.

Summer Of Love

quarta-feira, agosto 03, 2005

Royco Cup a Friendship

Se há coisa que me irrita (além das outras 100.000) são amizades instantâneas.
É óbvio que há empatias, há momentos Kodak, há risos espontâneos, mas não há amizade sem haver tempo, por que tal como no amor, tem que haver provas e para haver provas, tem que haver necessidade destas, e para haver necessidade destas, tem que haver tempo para precisarmos delas e aí vermos então de que são feitos estes castelos de areia.
Eu acredito na "first impression" e normalmente não me engano, mas dou o bebefício da duvida porque não sou o Prof.Aníbal e acho que o tempo traz ao de cima todas as camuflagens.
Agora a verdade é que estas pessoas existem.
Entram a matar, cheias de sorrisos e boas vontades e quando damos por nós já fazem parte da nossa vida.
O que vale é que tal como entram...

quinta-feira, julho 28, 2005

Monika's Paintings

Quem quiser ficar imortalizado como Elizabeth Taylor ou Marylin Monroe, clique na tela e encomende o seu retrato através do mail.


quarta-feira, julho 27, 2005

I amsterdam

O mal de viajar e ver o que se passa nos países evoluidos, é que quando voltamos, vemos a tristeza e o retrocesso que infelizmente reinam em Portugal.
Foi o que me aconteceu após ter regressado de Amsterdão.
Podia dar muitos exemplos, mas vou apenas falar dos que mais me marcaram.
Para já, na Holanda, há vida nas ruas, as pessoas gostam de estar ao ar livre, ( que é puro porque como quase nao há carros anda tudo de bicla) seja durante o dia, seja á noite, saiem de casa, relaxam, bebem um copo nos inumeros estaurantes e bares que existem.Aproveitam a vida.
Para o portugues, aproveitar a vida é estar enfiado em casa a ver televisão e a coçar a barriga enquanto se lastima, confinado a quatro paredes e a quatro pessoas, que sao as unicas com quem se dá e se irá dar nos próximos anos da sua triste e efémera existencia.
Depois, em todo o lado os holandeses passeiam alegremente os seus cães e respeitam os animais, que podem entrar em todo o lado, seja restaurantes, lojas e transportes públicos.
Claro que estes são bem educados e não incomodam nada, pelo contrário, são uma mais valia na vida das pessoas.
Aqui na merdaleja, a única coisa que os portugueses sabem fazer é amarrar os canideos na traseira do quintal e deixá-los a ganir o dia inteiro se for preciso, nunca lhes dando a minima atençaõ ou respeito que merecem.
Uma sociedade evoluida portanto.
Quando é que será que as pessoas vão começar a perceber que enquanto não mudarem certas atitudes nunca irão ser felizes?

sábado, julho 16, 2005

Good Vibes Dude

I Understand

A maior parte das mulheres é doida por roupa ou sapatos.Eu também sou.
Mas cheguei á conclusão que aquilo que me dá mais prazer comprar são, sem dúvida, discos.
Desde pequena que gastava o meu dinheiro em discos, na altura ainda vinil (eu sei que estou velha!).
Mas melhor que o prazer da compra que já por si, é bastante bom, é ouvir boas musicas pela primeira vez.
Ver como é possível baralhar as mesmas notas again and again e voltar a dar algo novo e tão bom.
Quando ouço um cd novo que gosto, ouço-o até á exaustão dias e dias seguidos até ter tudo de cor na minha cabeça, como uma espécie de Jack Nicholson em "as good as it gets ", mas com música.
Isto leva-me á minha ultima e fantástica aquisiçaõ:
Royksopp, "The Understanding"
Como fanática e ouvinte chocada por saber que há pessoas loucas que não gostam de musica, tal como como o Mário Soares e o Cutileiro, posso dizer que gosto de muitos tipos de musica, desde que seja boa.
Esta é sem dúvida boa como maçarocas gigantes.
É o segundo album deste duo maravilhoso cujo primeiro não sai do meu carro por nada deste mundo e ja tá podre de tanto o ouvir.
É um som muito actual, europeu, e com um toque de anos 80.
Uma mistura explosiva.
Tem convidados em algumas faixas, uma delas é das minhas preferidas, "What else is there?".
Também adoro "Only this moment" , "Someone like me", e "49 percent".
O melhor é comprarem.

quinta-feira, julho 14, 2005

Congrats Inhés!

quarta-feira, julho 13, 2005

Me Myself and I

Não gosto de regras.Não vou com marés.Não quero saber de ideologias.Não quero saber de religiões que só andam a estragar o mundo.Só me interesso pelo que meia dúzia de pessoas pensam de mim.Vou contra todos se me apetecer.Faço o que quero.Não pretendo ser igual.Não vou ser igual.Já enjoa tanta repetição.Gosto de estar rodeada de animais.Não gosto especialmente de pessoas.Não posso fugir.Não quero ficar.Não sou religiosa.Sou religiosa.Quero.Não quero.Gosto.Não gosto.Não mudo.Vou.Não vou.Não tenho medo de ficar sozinha.Gosto de estar comigo.

Are You Talking to Me?

quinta-feira, julho 07, 2005

The End of Time

Venha um meteoro e acabe com a raça humana.
Nós não merecemos viver, não merecemos usufruir deste planeta azul, cheio de maravilhas naturais, de animais lindos, de monumentos imponentes construidos por uma raça autrora grandiosa.
Nós vivemos num paraíso, e tornamo-lo um inferno.
Hoje acordei e vi o que aconteceu em Londres. Primeiro fiquei em estado de choque, depois lembrei-me da minha querida amiga a andar nas ruas de Londres para ir trabalhar.
A personificação da tragédia.
Felizmente, ela não se encontrava em Londres nessa altura.
O que é isto?Alguém me consegue explicar?
Há de facto uma razão válida para sacrificar inocentes?
Aonde é que vamos parar?
É o fim.

My first friend

quarta-feira, julho 06, 2005

Quimical Lovers

Acredito que uma das causas de tantos divórcios hoje em dia, e se calhar desde sempre, é a falta de química entre os casais.
Antigamente haviam razões sociais para tal acontecer, hoje em dia é apenas a preguiça e a comodidade que fazem com que tantas pessoas se juntem ou casem com a pessoa errada.
Voltando á química.
O que é a química?
Não faço a mínima ideia.Mas sei exactamente o que é.
É algo que nos dá arrepios na espinha quando o outro passa, é olhar nos olhos do outro e perder-se lá dentro, é querer estar colado 24/7 e achar que mesmo assim não chega, é dar 74534 beijos e abraços por dia.
É fogo que arde sem se ver, mas que se sente a milhas.
No entanto, quase ninguém casa com "a" pessoa com quem mais esteve apaixonado e com quem tem a relação mais química.
Será que é porque a química leva o cérebro a dar uma volta ao mundo e de repente percebemos que precisamos dele de volta para continuar a viver?
Será que química é sinónimo de loucura?
Será que é ter tudo e não ter nada?

domingo, julho 03, 2005

Friends VII

sexta-feira, julho 01, 2005

Mobile Slavery

O telemóvel é de facto uma das melhores invenções dos ultimos anos.
É fantástico andar com o telefone na mala, poder combinar tudo em cima da hora, falar para o outro lado do mundo quando se está na praia etc.
Ainda me lembro dos tempos em que combinava ir ao cinema com amigas e ficávamos ali, 10mns, 20ms, 30mns à espera, feitas idiotas á porta das amoreiras, ao frio, à chuva.
O tempo de espera não interessava, a combinação mantia-se, era uma questão de honra!
Agora, é o contrário, desmarca-se tudo em cinco minutos, mandam-se sms para desejar feliz natal ou até acabar namoros, já nem vale apena falar com ninguém.Não se fala smsa-sse.
Mas o que me incomoda mais é ter que andar com 460 pessoas sempre comigo.
Dantes, se me apetecia podia desaparecer.Desaparecia e pronto.
Agora não tenho 5 minutos de sossego, não só pelo constante toque idiota que tenho no telefone, mas pelo sentimento de estar sempre sob vigilância e pela obrigação de atender o telefone.
No outro dia esqueci-me do telemóvel em casa, coisa que raramente acontece, e estive uma tarde a pensar: "meu deus, estou livre,livre!".
Foi uma sensaçaõ óptima, só foi pena ter durado pouco, passado algum tempo de ilusão, tive que ir a correr a uma cabine (ainda existem!) fazer 10 telefonemas e gastar €20 para organizar a minha vida.
Modernices.

terça-feira, junho 28, 2005

Coffee Shop?

I´m Tripping

Adoro viajar, e estou a chegar ao ponto que me acontece ao fim de uns meses em Portugal:
Ponto de saturação total!!
Se vejo o largo Camões mais uma vez nos próximos tempos, vomito.
Talvez por isso, vou dar uma escapadela a Amsterdão , e lembrei-me de saber qual a viagem que marcou totalmente a vossa vida e porquê.
Aquele sítio que não se pode morrer sem lá ir.
Já agora, podem me dar dicas sobre Amsterdão.

sexta-feira, junho 24, 2005

C & C

quinta-feira, junho 23, 2005

Sick Air

Os portugueses passam metade, ou mais, do ano a queixar-se que está um frio do caraças, que a chuva naõ para, que este foi o ano mais frio de sempre etc.
Toda a gente deprimida, a tomar antidepressivos, antiprogressivos, anticonhecidos, tudo à espera que chegue essa maravilhosa saison chamada Verão.
E, eis senão quando, ele aparece!
Ah, que bonito!
Tudo de chanata, de manga á cava, o belo pneu de fora, uma maravilha....
Só há um pequeno problema, é que tal como a malta não aguenta o frio, afinal o calor, também não.
Resultado: cada vez que entro numa porcaria de um sitio qualquer, está um frio de rachar!
Quer dizer, 35º lá fora, um dia espectacular, eu, que adoro calor, toda descascada, e depois, entro num restaurante ou no supermercado, e estão 8º lá dentro.
Calro que passados 5 mns tou cheia de frio, com pele de galinha, a espirrar, completamente gelada, tal é o nível do ar condicionado.
Lá porque houve um atrasado mental qualquer que inventou o "ar condicionado"(só o nome dá para ver o saudável que é) para ganhar umas massas, não quer dizer que toda a gente seja obrigada a estar o dia inteiro a respirar um ar nojento, cheio de bacterias, que faz pessimamente mal à saúde, em tudo o que é tasco desta cidade!
Agora, saio de casa com uma roupita leve e levo o casaquito para me agasalhar, não fora, mas dentro.
Não é normal! Irra que nunca ninguem está satisfeito!

quinta-feira, junho 16, 2005

Catwoman Mr.Doc & Stinky Cat

segunda-feira, junho 13, 2005

Working in & Working out

Rapazes que estão a ponderar o vosso futuro profissional, não decidam nada antes de lerem este post sobre profissões "in" e profissões "out".
In é ser:
-Membro de uma banda de rock...
pop, hip hop, hard rock, não interessa a musica, o que interessa é que quando põem os pés no palco elas deliram e desejam qualquer homem que lá esteja em cima.
-Fotógrafo...
Há algo que as mulheres adoram nestes homens que capturam eternos momentos num só clic, deve por isso é que eles andam sempre rodeados de modelos girissimas!
-Médico...
Vá se lá saber porquê, os médicos de bata branca e cheios de sangue são, sem dúvida dos mais desejados.
Deve ser do extremo conhecimento da anatomia feminina.
-Piloto...
É quase a mesma coisa do que ser motorista de autocarro, mas como é no céu, o estatuto é imediatamente elevado, e quando passam de farda no aeroporto é o delírio.
-DJ...
Há algo mais sexy do que os auscultadores num só ouvido com a cabeça toda torta e os dedos no vinil?
-Escritor...
Despejando 1001 ideias geniais em qualquer conversa mundana, só para nos sentirmos babadas pela sua infinita inteligencia.
- Arquitecto...
Esta nunca percebi, mas elas gostam...
- Pintor
Quem é que não quer posar nua para um Freud?Até a kate Moss...
-Criativo da pub...
Elas querem-nos criativos e pronto.Normalmente também vestem umas roupas malucas e tal...
Out é ser:
- Bancário...
Então se for daqueles armados em banqueiros...
- Professor...
A não ser que seja o Indiana Jones a dar aulas, não dá!
-Contabilista...
Nem preciso explicar esta.
-Advogado...
Esta se calhar só percebe quem me conheçe.
-Dentista...
Quem é que quer lidar diáriamente com gente aterrorizada por vir ao nosso consultório?
-Actor...
Acham que têm o rei na barriga, e não fazem mais nada senão deambular pelo bairro alto a pensar: "ai, este protagonisnmo mata-me! Parem de olhar para mim..."
-Personal trainer...
Podem ter um corpo óptimo, mas homens que rapam os pelos das pernas...
Depois há as profissões supostamente "in", mas que em Portugal não passam de meia dúzia de desgraçados:
Gigolo...
Magnata...
Realizador de cinema...
Poeta...
Filósofo...
Actor porno...
E por fim, para quem quiser seguir esta orientação sexual, há as profissões GAY:
-Cabeleireiro
-Florista
-Estilista
-Bailarino
-Relações públicas
-Decorador
-Qualquer emprego na equipa do Herman José.

sexta-feira, junho 10, 2005

Happy Birthday Dr Green

quinta-feira, junho 09, 2005

Strangers

I dont know your face no more
Or feel the touch that i adore
I dont know your face no more
Its just a place I´m looking for

We might as well be strangers in another town
we might as well be living in a different world
We might as well

I don´t know your thoughts these days
We´re strangers in an empty space
I dont understand your heart
It´s easier to be apart

We might as well be strangers

For all I know of you now
For all I know